terça-feira, 29 de março de 2016

Atividade física: Mocinha ou Bandida?

Todo mundo ouve que ginástica faz bem, não é verdade?
Mas que ginástica? Qualquer uma? Quanto tempo? Quantas vezes na semana?
E principalmente, é bom porque?
Veja esses dados: de cada 10 pessoas que morrem por causa cardíaca, como o infarto, por exemplo, 04 delas ainda estariam vivas, se praticassem caminhada pelo menos 20 minutos por dia, de domingo a domingo. E se aumentarmos esse tempo para 40 minutos, 08 delas teriam evitado a morte.
Então a dica é: MOVIMENTE-SE.
Além da prevenção das causas de morte cardíacas, a caminhada também previne e ajuda no tratamento do diabetes, do câncer de intestino e da depressão.
Mexa-se!
Estamos falando de 10 mil passos por dia, em caminhada, que equivale a perda de 200 calorias. 
Então a perda de 200 calorias diárias é que é a principal forma de proteção contra essas doenças. Podemos conseguir isso com outras atividades também. 
Existe uma tabela de cálculo própria mostrando quanto tempo devemos nos dedicar a cada atividade para queimar as 200 calorias. Quanto mais calorias queimadas em uma atividade, maior é o benefício, mas, infelizmente, queimar menos de 200 calorias ( que equivale a metade de um cheeseburguer)  não demonstra benefício algum. É a partir de 200 calorias que deixamos de ser considerados sedentários.
Agora o outro lado: Apesar da atividade física ser importante, muitas vezes o rastreamento do risco para sua prática acaba sendo negligenciado. 
Você sabia que as mortes súbitas ocorridas durante a atividade física poderiam, em sua maioria, ter sido evitadas se a pessoa tivesse feito uma avaliação médica minuciosa?! Nunca inicie uma atividade sem consultar o seu médico. Principalmente se você já sentiu tonturas, desmaios, falta de ar, dores no peito ou na cabeça, durante qualquer atividade.



domingo, 20 de março de 2016

Coisas que você precisa saber sobre os nódulos da tireoide.

Olá leitores,
Todos os anos, em São Paulo, acontece o Hormogin, que é o Congresso de Hormonioterapia que ocorre no Centro de Convenções Rebouças (USP). Este ano a 19º edição foi incrível!
De hoje em diante, ao longo do ano, vou preparando posts com os temas mais interessantes, que possam ser úteis para vocês como informação e contribuir para melhoria da atenção a saúde e qualidade de vida.
Para iniciar vamos falar um pouco sobre a tireoide.
Essa glândula em forma de borboleta que fica na frente da traqueia, no pescoço, é responsável por secretar hormônios fundamentais para regular todo o nosso metabolismo.
Dentro dos problemas que podem acontecer com essa glândula, é muito frequente aparecerem nódulos dentro dela. E é sobre esses nódulos que vamos falar.
A maioria dos nódulos tireoidianos é benigna. Vocês sabiam disso?
A questão é  que um nódulo também pode
- Ser funcionante: Um nódulo é funcionante quando secreta quantidades excessivas de hormônios tireoidianos na circulação. Isso pode levar ao aparecimento de hipertireoidismo, que leva a sintomas como taquicardia, aumento da pressão arterial e até convulsões.
- Apresentar características suspeitas: fluxo de sangue no interior do nódulo, irregularidades no formato do nódulo, conteúdos líquidos associados a conteúdos sólidos dentro de um mesmo nódulo e calcificações, são características que precisam ser investigadas com maior detalhe pois um tratamento precoce garante a resolução do problema sem grandes agravamentos para a saúde.
Nem sempre um nódulo tireoidiano vai alterar os níveis dos hormônios na circulação, então é a ultrassonografia da tireoide que vai indicar se existe um nódulo e mostrar suas características.
Este exame não indicará se o nódulo é funcionante. Neste caso, quando há sinais de hipertireoidismo e foi visto o nódulo no USG, a investigação segue com a cintilografia para avaliar se é ou não funcionante.
 Não é um exame para ser feito anualmente, na ausência de sinais e sintomas, mas como rastreamento, feito pelo menos um a cada década de vida, vai contribuir muito com o diagnóstico precoce de qualquer lesão que necessite de investigação e tratamento.
Então, se você nunca fez um rastreamento da sua tireoide, vale a pena conversar com seu médico sobre isso.
Abraços
E até o próximo post.