segunda-feira, 18 de março de 2013

D Mais


Vocês já sabem a última novidade da ciência para manter a saúde em dia?
É um velho amigo nosso, O SOL. 
Ultimamente vinha andando esquecido  e até mesmo pichado, acusado de causar câncer de pele.
Ninguém mais quis olhar para ele sem uma capa protetora, o FPS.
Só que com o FPS a conversão da forma ativa de vitamina D para absorção fica prejudicada.
Aí que percebemos o problema de tomar condutas extremadas.  Num país como o nosso, pleno de sol, onde os cientistas esperavam que a população estaria transbordando de vitamina D, percebeu-se  uma grande carência deste nutriente e consequentemente o aumento das enfermidades que esta carência acarreta.
Sem a radiação do sol, a vitamina D que ingerimos nos alimentos não é absorvida pois é necessário a luz solar para convertê-la em uma forma que o organismo possa utilizar.
E o que acontece sem a vitamina D?
A sua carência causa deficiência de crescimento nas crianças, raquitismo, ossos fracos, osteomalácia, e perda acentuada de massa óssea precoce, osteoporose. Isso você já sabia porque aprendeu na escola.
Mas não é só isso!
Cada vez mais estudos de centros importantes como a Unifesp tem demonstrado a importância dela em várias outras funções e que a carência deste elemento no organismo  aumenta o risco a doenças crônicas e degenerativas das mais variadas desde o diabetes mellitus até doenças neurológicas como o Parkinson.  
Inclusive, tem se proposto que pessoas com estas alterações aumentem bastante os níveis circulantes da vitamina conferindo assim melhora da resposta terapêutica introduzida.
Como o metabolismo fica muito baixinho na carência dela, quer dizer, o corpo começa a ter dificuldade de queimar as calorias ingeridas, temos facilidade de ganhar peso, tudo funciona mal, os níveis de gordura no sangue aumentam e o metabolismo da glicose sofre interferência  e com isso aumenta o risco de todas as doenças que esta alteração acarreta.
E não é só aí que ela interfere não!
Também com a carência da forma ativa da vitamina D há deficiência na produção da defesa do organismo e a imunidade cai. E começamos a pegar infecções oportunistas de repetição.
Com tudo isso sendo descoberto, a orientação agora é tomar sol!
A quantidade necessária deve ser individualmente estipulada. As pessoas têm capacidades de absorção diferentes dependendo do tipo de pele.
De forma genérica orientamos dez minutinhos diários com exposição de braços e pernas, sem filtro solar nestas regiões, no período em torno das 9:30H AM  às 10:30h AM.
Agora me diz, sabendo dessas novidades você ainda vai fugir do sol? Agora acredito que vai ser o contrário, vamos correr para ele.  Mas cuidado com atitudes extremas pois ainda temos que prevenir contra o câncer de pele!

Nenhum comentário: