terça-feira, 27 de novembro de 2012

Prevenção ao Câncer de Mama


Scar Project – Câncer de Mama não é uma fitinha rosa

Olá meninas, Outubro é o mês dedicado ao combate ao câncer de mama. Sabem por quê? Isto porque muitas mulheres são diagnosticadas com câncer de mama todos os anos, e é a principal causa de morte entre as mulheres de 15 a 40 anos. Muitas campanhas de conscientização sobre o problema e métodos de prevenção e diagnóstico, como a necessidade de fazer a mamografia e o exame anual das mamas, são feitas ao redor do mundo. Uma das mais conhecidas é o Outubro Rosa, em que inúmeros sites são decorados por banners exibindo o famoso lacinho rosa, símbolo da campanha. 
Em oposição a esse tipo de campanha, conheci na REVISTA ENTRE MUNDOS,o fotógrafo David Jay, que, após uma amiga pessoal ter tido o diagnóstico de câncer de mama, criou o SCAR Project, que mostra os resultados de cirurgias para a retirada de mamas, muitas vezes necessárias nestes casos. Assim ele dá sua contribuição conscientizando nós mulheres da real necessidade de prevenção. 
A revista Forbes publicou "É um projeto de realidade  chocante ou uma bela série que mostra um lado do câncer que não estamos acostumados a ver: a realidade".
O objetivo é conscientizar através do choque, mostrar como é terrível esse problema para uma mulher. E que, apesar de tudo, a vida continua (“e é bonita e é bonita…”)(Rev Entremundos). 
São fotos de mulheres, corajosas e belas, acima de 18 anos, expondo o seu corpo e cicatrizes após a cirurgia. Fotos ao mesmo tempo chocantes e delicadas. 
"Uma prova incrível de coragem, força e beleza, que transcende os padrões da sociedade de beleza exterior", nas palavras de Tina Carroll.
Em seguida umas fotos do brilhante projeto, que recebe meus parabéns. Parabéns também a essas lindas mulheres que venceram esta batalha e tem coragem de mostrar ao mundo o resultado.Vocês podem conhecer mais no site http://www.thescarproject.org/
E fica a dica, Meninas vamos nos prevenir porque câncer de mama não é uma fitinha rosa. E vamos divulgar para todas as mulheres que amamos!






segunda-feira, 20 de agosto de 2012

Alterações do colesterol e as mulheres.

Olá leitoras,
Esta semana estive lendo um artigo da Sociedade Brasileiro de Cardiologia com um Consenso sobre dislipidemia, que é a alteração do colesterol, nas mulheres, e achei interessante passar para vocês.
Então o que vocês precisam saber?
Hoje em dia está na moda demais tomar ômega 3 para melhorar o bom colesterol. Gente não há comprovação científica que isso dê resultado.
Mas sabem que ingerir o colesterol ruim, a gordura trans, piora o bom colesterol. Isso mesmo, a gordura trans diminui o HDL. Aonde tem gordura trans, nos biscoitos, deliciosos, onde vem escrito gordura vegetal hidrogenada.
Não é para não comer. É só para comer de vez em quando e não fazer deles a base da alimentação diária.
O HDL é um mau mocinho enquanto LDL é um bom bandido. O que isso quer dizer? Que o poder de defesa do bom colesterol é muito pequeno e o poder de ataque do colesterol ruim é muito grande.
Então nós temo que tentar manter baixo o nosso colesterol ruim a todo custo. Ingerindo menos gordura e fazendo ginástica para queimar o excesso ingerido e não deixar ele depositar nos nossos vasos.
Quando a gordura deposita no vaso, que é o que chamamos de placa de ateroma, corremos o risco de sofrer um derrame ( Acidente Vascular), ou um Infarto. Porque vamos correr este risco se podemos prevenir, e com medidas simples, né!?
Mais uma informação para vocês. Não sei se sabem, mas o uso do hormônio de reposição hormonal oral, ou anticoncepcional oral, pioram um pouco a coagulação do sangue e o colesterol ruim. Então se vocês tiverem este problema precisam se preocupar em tratar o colesterol antes de usar o hormônio e acompanhar as taxas. O objetivo é evitar deixar formas as placas de gordura.
A alteração da tireóide também pode causar alteração dos níveis de colesterol. Quando identificada uma alteração nela, primeiro a trate e corrija a disfunção. mas se depois o colesterol continuar alterado, terá que ser tratrado também.
O uso do remédio de colesterol não é isento de riscos. Mas se medidas preventivas não dão conta de evitar a elevação da gordura, ele deve ser usado sempre. E se aparecerem reações ruins, deverá ser tentado outro e outro a té um que se adapte e te proteja.
Espero que estas dicas tenham sido úteis.
Até a próxima
Dra Maria Luiza Campos

quinta-feira, 9 de agosto de 2012

Mudanças na menopausa

Mudanças na menopausa


O calor inesperado toma conta do dia-a-dia da mulher e acontece interrupção do ciclo menstrual. É sinal que a menopausa chegou. Nessa fase, existem muitas modificações hormonais, pois os ovários entram em falência e, por isso, os hormônios por ele produzidos, basicamente, estrogênio e progesterona, param de ser produzidos.
Com essa mudança na produção dos hormônios, o corpo da mulher sofre muitas alterações. É comum mulheres na menopausa terem insônia, dor de cabeça, palpitação, tonturas, perda de massa óssea, alteração na distribuição da gordura corporal, além de risco aumentado de doenças cardiovasculares.
Para melhorar os indícios físicos desses sintomas, existe a possibilidade de reposicionamento hormonal, mas a ginecologista Maria Luiza Campos da Silva alerta: “Não é toda mulher que pode ser submetida a este tratamento. E para saber se esse é o procedimento indicado, é necessária a opinião de especialistas”, diz.
Reposicionamento

Para as mulheres que podem fazer o procedimento, a reposição é feita usando hormônios femininos sintéticos, isto é, produzidos em laboratório. O intuito é imitar a ação dos antigos hormônios e assim diminuir os sintomas. “Pode-se usar monoterapia ou associar os dois tipos de hormônio. Também pode-se usar um pouco de testosterona em determinados casos”, explica a ginecologista. Em relação aos benefícios, a melhora clínica dos transtornos fica em primeiro lugar. Maria Luiza diz que a ideia é conseguir fazer uma transição do período fértil para a menopausa de uma forma mais gradativa e equilibrada, diminuindo as doses hormonais até o desaparecimento dos sintomas.
Idade

Logo que a mulher começar a sentir os sintomas do climatério, que pode ocorrer até 10 anos antes da falência ovariana, a mulher já pode procurar acompanhamento de um especialista. O profissional indicará algumas mudanças alimentares e implantação atividade física no cotidiano da paciente. “Quando os sintomas não desaparecerem mais com esses cuidados, caso essa mulher não tenha nenhum fator de restrição ao uso de hormônio, com distúrbios da coagulação e risco de câncer familiar, estará indicado o tratamento”, explica a ginecologista, finalizando que algumas mulheres passarão por esta fase de uma forma mais amena e sem sintomas. Por tanto, para essas pessoas o procedimento de reposição hormonal não é indicado.
Créditos

Pamela Fortes
www.alemdabeleza.com.br




domingo, 10 de junho de 2012

7 Dicas de Saúde para seu Namoro


Cuide da pessoa que você gosta
http://medico.uol.com.br/br/content/7-dicas-de-saude-para-seu-namoro-funcionar

Saúde é importante em relacionamentos
Por Bárbara Nomura; avaliado por Julian Fisher, MD
Todo homem já reclamou da namorada ou da esposa por estarem irritadas com tudo. Muitos ficam até chateados quando elas dizem ser culpa da tensão pré-menstrual (TPM). As mulheres também já devem ter brigado pelo mau hálito deles. Estas são apenas algumas das queixas comuns em um relacionamento que você pode evitar com estas dicas de saúde – contamos também com a participação da ginecologista Maria Luiza Campos.

HPV não é sinal de infidelidade - A contaminação pelo HPV pode ter ocorrido em uma relação passada e manifestado em forma de verrugas genitais ou infecções somente depois de alguns meses. Por isto, não adianta muito acusarem-se de infidelidade. A melhor forma de evitar a contaminação é pelo uso de preservativos, protegendo do risco de câncer de colo do útero.

Não fujam dos tratamentos em conjunto - Não é só a mulher que deve procurar tratamento para o HPV, assim como para qualquer outra DST. Muitas vezes o ginecologista prescreve tratamento para o casal com a intenção de encerrar o ciclo de transmissão para não ocorrer uma recontaminação na mulher. “Mas o homem realmente precisa consultar o urologista, para ter os cuidados adequados para ele”, explica a médica.

O mau hálito tem tratamento - Se você reclama que seu namorado está com mau hálito (halitose), não pense que isto pode somente culpa dele. Assim como ele pode sofrer desse problema, você também poderá ter halitose em algum momento de sua vida. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS) este problema atinge cerca de 40% da população em geral . Nem todos que sofrem de mau hálito sabem que tem o problema, que é causado por diversos motivos, como infecção dos dentes e sinusite. Por tanto, ao invés de criticar procure ajuda médica.

Dor de cabeça não é desculpa - Quando sua namorada disser que está com dor de cabeça, leve a sério. Alguns estudos mostram que a alteração hormonal que as mulheres sofrem todo o mês é um dos principais motivos dessa dor. Manter uma alimentação saudável e evitar produtos industrializados pode ajudar.

Quebre os tabus da libido - Muitas mulheres reclamam da libido, por isto é importante prestar atenção no estilo de vida. A médica Maria Luiza diz que o anticoncepcional pode não influenciar na libido, como muitos acham. “Existem pílulas que ao contrário prometem aumentar”, diz. Segundo ela, o que pode ajudar a provocar a diminuição na produção da testosterona é o estresse físico, sedentarismo e até o desgaste do relacionamento. As mulheres mais velhas se tiverem indicação podem melhorar a libido por meio da terapia de reposição hormonal. “Fora a terapia, a mulher deve fugir do tabagismo, combater obesidade e procurar alimentação rica em nutrientes que estimula e equilibra a sexualidade”, completa.

Entenda a TPM -Os dias que antecedem a menstruação provocam diversas alterações no corpo das mulheres. Os sintomas variam de inchaço, cólica, dores de cabeça e irritação . Isso acontece devido ao aumento de hormônio no corpo. Tente compreender, incentive a sua namorada a praticar esportes para aliviar a cólica. Se ela não toma anticoncepcional, é uma boa ideia recomendar uma visita ao ginecologista que poderá receitar um remédio para ajudar a combater os sintomas da TPM.
Não deixem o estresse afetar vocês -Trabalho, família, amigos e todos os demais problemas podem ser realmente estressantes. É importante ser pró-ativo no combate do estresse. O casal pode desenvolver atividades relaxantes para praticar juntos, devem procurar dormir adequadamente, ter uma dieta saudável e equilibrada. Procurem ter um estilo de vida saudável que ajudará a evitar problemas. Assim, fatores negativos não tomaram conta da vida de vocês e muitas brigas serão evitadas.



quinta-feira, 10 de maio de 2012

Maus hábitos podem causar infertilidade

Oi gente!
Os alunos do curso de jornalismo da Universidade Metodista produziram uma reportagem para o RROnline, e eu contribuí para matéria através da entrevista com a jornalista Ranny Oliveira.
Ficou muito bom e eu divido com vocês.

Maus hábitos de saúde podem causar infertilidade



Estudo afirma que qualidade de vida interfere no processo de fecundação



RANNY OLIVEIRA*

Especial para o RROnline

Dados da pesquisa realizada pelo grupo Procreanat de especialistas em fertilidade, aponta que maus hábitos de saúde como: tabaco, stress, álcool, e consumo de antidepressivos, podem contribuir para a infertilidade. O estudo avaliou 348 casais que recorreram a tratamentos de reprodução em 43 departamentos franceses, e constatou que todos consumiam mais álcool e tabaco do que a média da população.

De acordo com a ginecologista Maria Luiza Campos (35), os maus hábitos de saúde interferem na qualidade e número de espermatozóides, e também no tamanho dos óvulos. A doutora ressalta que além de tratamentos especializados, uma boa qualidade de vida também é importante para combater a infertilidade. “Todas as soluções que contribuem para melhora da saúde em geral, e do bem estar, como exercícios regulares, alimentação saudável, e sem nenhum vício, contribuem também para saúde dos ovários”, diz.



O Centro de Reprodução Humana da faculdade de medicina do ABC, Ideia Fértil, localizado em Santo André, oferece tratamentos especializados para casos de infertilidade. São tratamentos de reprodução assistida como inseminação intrauterina e fertilização in vitro. O Ideia Fértil possui o intuito de ajudar casais de baixa renda a terem filhos, assim oferecendo custos mais baixos para os tratamentos.

Segundo o médico e presidente do instituto, Caio Parente Barbosa (53), o tratamento inicia- se com uma pesquisa básica, onde são feito exames como o espérmograma, para avaliar os espermatozoides do homem, e também uma avaliação anatômica e funcional, onde são analisadas as trompas e útero da mulher. “Primeiramente é preciso avaliar os motivos que dificultam a fecundação, para assim direcionarmos para o tratamento adequado”, afirma Dr.Barbosa.

O tratamento leva em média de dois a três meses para ser iniciado, e sem tempo determinado de duração, pois varia muito dependendo do caso. O valor investido é de aproximadamente 6 mil reais. Ainda de acordo com o presidente Barbosa, o instituto também oferece tratamentos gratuitos para portadores com câncer. “Não é preciso nenhum encaminhamento, a paciente deve nos procurar e de imediato iniciar o tratamento”, afirma.

A professora Antônia Rodrigues de Araújo (37) diz que iniciou seu tratamento de fertilização aos 21 anos de idade, após ser atendida por vários médicos e não obter nenhum resultado. ”Fiz o tratamento na Unicamp, onde fiquei internada durante 5 horas para receber 16 injeções de hormônios, pois nos meus exames foi constatado desequilíbrio hormonal. Só depois disso que consegui engravidar”, afirma Antônia.

*Esta reportagem foi produzida por alunos do curso de Jornalismo da Universidade Metodista

quarta-feira, 2 de maio de 2012

Previna a candidíase

Olá leitoras, estou trazendo pra vocês uma matéria publicada no site Bolsa de Mulher sobre os cuidados para evitar a candidíase. Foi uma entrevista muito interessante. Espero que curtam.
  http://www.bolsademulher.com/corpo/previna-a-candidiase-112932.html

Da Redação:

Qualquer mulher está suscetível a ter candidíase. “É uma infecção oportunista que aparece quando a defesa da vagina diminui. Ela gosta bastante da região pois o local é quente e úmido, ambiente ideal para um fungo se desenvolver”, explica a ginecologista Maria Luiza Campos, acrescentando: “alíás, não é só na vagina, pois ela pode aparecer em qualquer parte do corpo, até na pele. É o que comumente é chamado de sapinho”, acrescenta.
Maus hábitos como usar biquíni molhado durante muitas horas e ter uma má alimentação podem desencadear a infecção, que não é exclusivamente sexualmente trasmissível. “Não precisa fazer sexo para desenvolver uma candidíase, mas se você estiver com o problema e tiver relações sexuais, o parceiro pode apresentar algum sintoma”, diz a especialista.
O tratamento é com antifúngicos. “Medidas de suporte, como uso de sabonetes e líquidos que equilibram a flora também ajudam”, complementa Campos. Quando o tratamento demora a dar resultado ou a candidíase é recorrente, pode ser sinal de algo mais grave. “A vagina inflamada e sem defesa facilita a entrada de bactérias mais graves que podem causar uma infecção maior. Casos repetidos de candidíase indicam que o sistema imunológico está deficiente. Toda secreção vaginal que cause desconforto e você perceba que não está normal precisa ser investigada”, alerta a ginecologista.
Para evitar o problema, os cuidados devem começar de dentro para fora. “Sempre se alimente com leite e iogurtes, que ajudam a aumentar as bactérias do bem no seu organismo”, orienta a ginecologista. Manter uma boa higiene íntima e evitar expor a vagina à umidade excessiva também são atitudes importantes para prevenir a candidíase. “Não use perfumes vaginais e, quando for à praia ou piscina, não fique muito tempo com a roupa molhada. Dê preferência para calcinhas de algodão e evite roupas sintéticas muitos justas. Quando for ao banheiro, faça a limpeza com movimento para trás”, recomenda.

Será que eu engravidei?

Todos os dias recebo muitos emails com dúvidas a respeito do ciclo menstrual e se pode ter ocorrido uma gravidez, desejada ou não, neste mês.
- Eu estava no dia fértil?
- Posso sangrar e estar grávida?
- A camisinha rompeu, e agora?
- Esqueci a pílula, e agora?
Vou te dar respostas práticas e dicas básicas, para diminuir um pouco este sofrimento mensal.
Funciona assim: se você não usa pílula, então seus ovários, dentro de um ciclo, vão produzir o óvulo, selecionar, ovular. O útero vai preparar o endométrio para receber a gravidez e se isso não acontecer, a menstruação acontece.
Ok. No dia em que você começa a menstruar, o útero está dando a seguinte informação ao cérebro:
- Não engravidei, não tem bebê aqui, vou descamar.
Imediatamente o cérebro responde:
- Ovários preparem novo óvulo que ainda não ocorreu a gravidez.
Então enquanto você ainda está começando a menstruar, deu-se por encerrado  o ciclo anterior e o novo já começou.
Por isso o ciclo menstrual começa no primeiro dia de sangramento.  Deste dia para frente, o corpo leva em torno de sete a vinte e um dias para ovular. Isso varia de pessoa para pessoa.
Quando o óvulo já está pronto e a ovulação vai acontecer, os próximos quatorze dias são do útero já preparado, esperando a fecundação acontecer.
Êpa, peraí! Então como é que vamos calcular o período fértil???
O período fértil é individual. Você vai precisar saber se sua menstruação vem em períodos fixos, como de 21 em 21 ou a cada 28 ou 32 dias. Pois veja agora o que acontece no caso que eu vou mostrar:
Se  temos 14 dias depois da ovulação, para menstruação descer e se eu menstruo, por exemplo, a cada 24 dias, isso que dizer que em torno de 10 dias já estou com meu óvulo pronto. Percebeu? Então meu período fértil, seria durante aquela semana em que estou completando dez dias do dia em que comecei a sangrar.
Se o seu ciclo for de 28 dias, então a ovulação será em torno do décimo quarto dia.
Agora preste atenção. Isso não é matemática, então pode variar de um mês para outro e portanto não funciona para evitar gravidez. É bastante usado para quem quer planejar a gravidez, para saber o período de maior expectativa.
Agora se você está usando um anticoncepcional, seu ovário está bloqueado. Não está fabricando o óvulo. Mas se você esquecer de tomar a medicação, o estímulo hormonal pode acontecer, aquela mensagem que o cérebro manda ao ovário, e ele pode iniciar o processo de ovulação. Então os comprimidos não podem, ser esquecidos.
Fica a dica: se for uma pílula monofásica, ou seja, aquela que a dose hormonal é a mesma o mês todo, e você esquecer, tem que tomá-la assim que lembrar. Mas se já tiver passado mais de 12 horas da hora do esquecimento, interrompa o ciclo, espere menstruar e recomece no primeiro dia como se fosse a primeira cartela. É o mais seguro a se fazer.
Tem o recurso da pílula do dia seguinte, que devemos lançar mão só em último caso, quando a camisinha rompe, por exemplo, pois: -primeiro, é uma dose hormonal mais alta e traz alguns sintomas indesejáveis; -segundo, não é um método contraceptivo tão eficaz como a pílula mensal.
Quando você usa a pílula do dia seguinte, fica ansiosa esperando a menstruação descer, para saber se deu certo ou não. Mas dependendo da época do ciclo que você usou, o sangramento poderá só vir no outro mês. Ou seja, não é obrigatório ter sangramento depois da pílula do dia seguinte. Mas pode haver retenção de líquido, com edema e até náuseas, que às vezes nos deixa confusas pois não sabemos se é sintoma de gravidez.
O melhor a fazer é manter a calma, esperar o dia correto da menstruação. Ansiedade nos leva a fazer exames desnecessários que não terão resultados eficazes neste período.
E, por fim, é muito comum ouvirmos comentários de mulheres que engravidaram e ficaram menstruando.
O que acontece é o seguinte, quando o óvulo vai implantar no útero, este processo pode causar um pequeno sangramento que pode ser confundido com menstruação, mas é diferente do ciclo normal e fora de época. Agora, uma mulher sabidamente grávida e que esteja sangrando, provavelmente está com alguma alteração que se não olhada a tempo, pode levar a um risco de abortamento. Não é certo estar grávida e com sangramentos.
Bom, é isso aí. Espero ter tirado algumas dúvidas e ajudado a entender mais sobre o período fértil.
Até

terça-feira, 13 de março de 2012

Cuidados de Higiene no Verão

Então queridas leitoras, andei sumida! Agora trago uma entrevista minha para o blog Nova Lua, escrita pela jornalista Manoela Ferreira. Acredito  que vai tirar a dúvida de muitas mulheres. Então dêem uma olhada.

http://blog.novalua.com.br/2012/03/cuide-da-sua-higiene-intima-neste-verao/


Por Manoela Ferreira
Nos dias de calor, as mulheres devem ter cuidados redobrados com a higiene íntima, afinal o corpo fica mais propenso a suar, ter irritações, desenvolver alergias e odores por causa disso.
E de que adianta ter a calcinha mais linda se a mulher não estiver em dia com a saúde? Por isso, o blog Novalua conversou com a Dra. Maria Luiza Campos, titulada pela Federação Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia, que deu algumas dicas de cuidados básicos.
Leia a entrevista completa:
Como a mulher deve se cuidar no verão?

Devemos evitar que a região genital fique muito abafada e suada. O excesso de calor e umidade na vagina, aliada a pouca oxigenação, facilita o crescimento de microorganismos patogênicos, pois ‘mata’ nossos lactobacilos, que são bactérias de defesa da vagina mantendo-a um pouquinho mais ácida. Sem eles o ph muda e ela pode ser ‘invadida’. Com isso teremos coceiras e corrimentos.
Você recomenda o uso de absorventes diários, sabonetes e desodorantes íntimo?

O absorvente diário causa a falsa impressão que estamos secas, mas na verdade, a vagina fica mais abafada, com menos oxigênio. É prejudicial. O ideal é uma calcinha de algodão bem larguinha e muita saia. Os sabonetes íntimos, usados só externamente, ajudam a manter a acidez do local e manter os lactobacilos vivos.

Qual o tipo de calcinha mais recomendada no dia a dia?

A calcinha ideal é sem corante, branca, de algodão e bem larguinha. Além disso, quando for depilar, bem na parte de baixo, na entrada da vagina, o ideal é não arrancar todo o pelinho, mas cortar curtinho, para que o tecido da calcinha não encoste diretamente na mucosa vaginal. Assim evitamos irritações da nossa mucosa causadas pelos restos de detergente que ficam nos tecidos.
Também é bom termos um sabão neutro específico para lavar as roupas íntimas, que devem secar ao sol e não devem ser misturadas às outras roupas.
E as calcinhas rendadas, justinhas ou fio dental?

Os tecidos mais coladinhos, só valem em ocasiões especiais. Não são saudáveis no dia a dia
É mais aconselhável dormir sem calcinha?

Se usarmos muita calça jeans e tecidos sintéticos durante o dia, é saudável à noite dormirmos com uma roupa mais larga ou até sem ela, para que possa ocorrer a oxigenação do tecido da vagina, matando aquelas bactérias que necessitam de pouco ar para sobreviver.
Tags: dra. maria luiza campos, gineologista, higiene íntima, novidades, Verão
Posted in Lingerie, Verão, calcinha