segunda-feira, 28 de março de 2011

Osteoporose, conceito e conselhos

Artigo publicado no Jornal Diário da manhã dia 14/3/2011 - página 20


Muito se tem discutido nos últimos tempos, quer seja em encontro informais com amigos, ou em reuniões formais com profissionais da saúde, acerca dos recentes diagnósticos referentes a males oriundos do estilo de vida que escolhemos já desde o final do século passado e início deste.


As “novas doenças”, termo utilizado com certa intensidade pelo senso comum são objetos de avaliações em todo o contexto da sociedade.

Uma em especial tem levado preocupação em demasia às mulheres, ainda que atualmente se tenha conhecimento que o mal atinge também o sexo masculino.

A osteoporose é uma doença que enfraquece os ossos, aumentando o risco de inesperadas e repentinas fraturas. De forma literal Osteoporose, significa “osso poroso”. Constitui a perda de massa e força do osso. Em geral, a doença progride sem nenhum sintoma ou dor – daí a necessidade de se realizar exames periódicos -.

Muitas vezes, a enfermidade não é descoberta até que um osso fraco se quebre de forma bastante dolorosa. Isso costuma acontecer nas costas ou nas costelas. Um fato bastante preocupante é a questão do risco de se potencializar novas fraturas, pois, infelizmente, sabe-se que depois que acontece uma primeira fratura, aumenta-se em muito o risco de se ter outra. Além disso, é fato que a quebra dos ossos pode ser um processo desgastante, contudo, há como se precaver.

Uma questão quase sempre abordada é a de que como a osteoporose está relacionada à menopausa. Há uma união direta entre a falta de estrogênio depois da menopausa e o desenvolvimento da osteoporose. A menopausa precoce e qualquer outro processo prolongado no qual os níveis de hormônios estejam baixos e a menstruação ausente pode levar à perda de massa óssea.

Algumas atenções e cautelas devem ser observadas no intuito de se adiantar à osteoporose, o que certamente sua ginecologista poderá lhe orientar, pois alguns tratamentos podem amenizar a doença.

Um exame indolor e bem eficaz pode dizer tudo sobre o seu osso. A densitometria óssea é uma espécie de raio X que usa uma quantidade muito pequena de radiação para medir a força do seu osso. O resultado é obtido com rapidez e segurança e deve ser comparado com padrões para idade e sexo.

Há algumas formas de tratamento que devem ser seguidas sob orientação médica. São elas:

- Medicamentos;

- Cálcio e vitamina D;

- Exercícios de levantamento de peso;

- Injeções de substâncias que levam à formação de osso novo.

Existe ainda a se considerar a terapia hormonal. Esta forma de tratamento é considerada útil na prevenção ou alívio da perda de massa óssea. É recomendada para mulheres que já entraram na menopausa e que se enquadram nas seguintes normas:

- Tiveram uma menopausa precoce;

- Têm pouca massa óssea;

- Possuem vários outros riscos de osteoporose.

O que se deve exibir de forma clara, é que existem alguns riscos neste tratamento. Câncer de mama, coágulos, infarto, doenças do coração e na vesícula biliar são contratempos a se considerar. Caso você esteja considerando usar a terapia hormonal apenas para evitar a osteoporose, converse com seu médico. Ele poderá lhe indicar outros tratamentos.

Por fim, algumas questões a se ponderar na maneira de como se proteger de fraturas, caso seja portadora de osteoporose:

- Remova a bagunça da sua casa ou do escritório;

- Instale barras de apoio no banheiro;

- Coloque uma iluminação apropriada;

- Ponha um piso antiderrapante e remova os tapetes.

Cuidados simples poderão lhe trazer segurança e autonomia, propiciando naturalmente uma vida feliz.