terça-feira, 25 de janeiro de 2011

Qual o melhor tratamento para Mioma SEM retirar o útero.

Esta pergunta foi feita ao Dr Michel Zelaquett - Coordenador do Centro de Miomas da Rede D'Or- em seu site http://www.portaldomioma.com/

A resposta foi muito importante:


Esta pergunta não é incomum. Certamente muitas mulheres já se
perguntaram. E, certamente, muitas já perguntaram para seu médico. Na

verdade, a resposta certa, apesar de óbvia, poucas vezes é respondida

com clareza. Não há tratamento para os miomas uterinos SEM a retirada

do útero que seja melhor do que os outros.

Aí vem outras perguntas:

E os tão divulgados tratamentos minimamente invasivos, como a

embolização dos miomas?

Os novos tratamentos, como o ExAblate, são confiáveis?

E os tratamentos tradicionais, como a miomectomia, ainda são bons?

Todos os tratamentos são bons, seguros, confiáveis e, na grande

maioria das vezes, cumprem o principal objetivo: a preservação

uterina. No entanto, a escolha do melhor tratamento depende de 3

fatores principais, são eles:

1) Os sintomas da paciente.

2) Os tipos de miomas que a paciente apresenta.

3) O perfil da paciente.

Para entendermos melhor esta segmentação vejamos abaixo:

O tratamento a ser escolhido deve estar direcionado a melhora dos

sintomas que a mulher com mioma apresenta. Ou seja, se é sangramento

uterino anormal, o tratamento tem que melhorá-lo. Se é aumento do

volume abdominal, o tratamento deve reduzí-lo. Se for aumento da

frequencia urinária por compressão da bexiga, este sintoma deve ser

tratado. E, também, se o sintoma for infertilidade, o tratamento deve

estar direcionado a melhora da fertilidade da mulher. Portanto, a

escolha do tratamento deve estar condicionada a melhora dos sintomas

apresentados, objetivando a melhora da qualidade de vida desta mulher.

Os tipos de miomas apresentados também vão influenciar diretamente na

escolha do melhor tratamento. Os tipos de miomas, como apresentado em

postagem anterior, podem variar de acordo com a localização, o

tamanho, o número de miomas e, principalmente, o componente (conteúdo)

do mioma. Um exemplo quanto a localização são os miomas pediculados,

que não devem ser tratados pela embolização ou pelo ExAblate, sob o

risco de se desprenderem do útero. Outro exemplo de localização são os

miomas submucosos (na camada mais interna do útero), quase sempre o

melhor tratamento é a miomectomia por videohisteroscopia. Mas se este

mioma submucoso for muito grande, em geral acima de 4 centímetros de

diametro, a miomectomia por videohisteroscopia pode não ser o melhor

tratamento. Então, pode ser necessário um tratamento para reduzí-lo

antes de retirá-lo. Miomas extremamente grandes (em geral acima de 14

centímetros) podem não ter como uma boa opção os tratamentos para

redução do volume, como a embolização ou o ExAblate, visto que estes

miomas podem permanecer ainda grandes. Múltiplos miomas (em número

acima de 4) podem não ter como boa opção de tratamento o ExAblate ou a

miomectomia por videolaparoscopia. Quanto ao conteúdo, miomas não

vascularizados ou degenerados não servem para o tratamento através da

embolização ou do ExAblate. Miomas muito hidratados também não são

bons para o ExAblate. Por estes motivos, a propedêutica de

investigação para o tratamento conservador dos miomas uterinos deve

passar obrigatoriamente pela ressonância magnética de pelve com

contraste. Só a ressonância, diferentemente da ultrassonografia, pode

fornecer com certa confiabilidade os dados quanto ao número de miomas,

localização e tamanho dos principais miomas e o conteúdo destes

miomas, referente a vascularização, celularidade e hidratação do

mioma.

Agora a mais importante variável nesta equação que é a escolha do

melhor tratamento para os miomas uterinos SEM a retirada do útero. O

PERFIL da paciente. Este perfil deve ser definido de maneira única,

individual e personalizada. Ou seja, o perfil de uma paciente com

miomas é único. Somos pessoas únicas inseridas em um contexto. Cabe a

nós médicos investigarmos o contexto em que vocês pacientes estão

inseridas. Este contexto é formado por vários fatores como idade,

estado civil, renda familiar, prole, desejo de engravidar, trabalho,

tipo de trabalho, atividade física etc. Saber deste contexto significa

dimensionar o tratamento de acordo com seus desejos e aspirações e de

acordo com a importância que você exerce na sua vida familiar, no seu

ambiente de trabalho enfim, na sociedade. Então, definitivamente, não

devemos tratar uma parte de uma pessoa e sim um indivíduo como um todo

inserido na coletividade (sociedade).

Finalmente...para nossa pergunta:

A resposta:

Depende, do seu médico analisar de maneira criteriosa seus sintomas,

os tipos de seus miomas e o seu perfil. Além disso, depende também

dele ter disponível todas as opções de tratamento dos miomas uterinos

SEM a retirada do útero, para, dentre todas opções, poder escolher o

melhor tratamento para o SEU caso.

5 comentários:

TECA disse...

Sempre muito bem explicado.Adorei
Beijos
Teca

Anônimo disse...

Olá, minha dúvida não tem a ver com o Mioma mas sim com anticoncepcionais. Gostaria de saber se tomar anticoncepcionais pode retardar o crescimento do corpo ou algo parecido. Ainda tenho 17 anos e gostaria de começar porque me disseram que ele diminui, pouco, as espinhas, e também porque minha menstruação é muito irregular.
Obrigada!

gomesbispo disse...

qual o tratamento para o m ioma c hemoragia e que nao precise de retirar o ultrro

Anônimo disse...

Acabei de descobrir que tenho mioma que esta na parede posterior medindo aproximadamente 39x32mm e tenho algumas duvidas. O que é utero em retroversoflexão, com morfologia, contornos e dimensões aumentdos; colo utero fechado; eco endometrial centrado e homogeneo 4mm. UT:25x19x23mm Vol. 179.2cm3. Hoje tenho 34 anos nunca engravidei e agora que estava tentando descobrir essa doença. Gostaria de receber resposta quanto antes ah sou gordinha tambem. Boa tarde ate mais

Anônimo disse...

Eu particularmente, não consigo aceitar o dicurso dos ginecologistas do nordeste, especialmente dos baianos que vêem na retirada do útero a única forma de tratamento para miomas. São inumeras mulheres multiladas. Por favor especialistas que estudam, não se tem junto as celulas tronco, também uma cura para os miomas. As células troncos traz tantas pespectivas de cura para doenças graves, não tem nada que se possa fazer para cabar com tanta multilação uterina.