quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

Dietas

      O desejo de emagrecer é grande entre o público feminino.
      Mas o que será que estamos fazendo de errado para engordarmos?
      Todos os dias na TV milhares de fórmulas milagrosas nos tentam...mas o que de milagroso existe nestas fórmulas é o emprenho com que nos aplicamos a seguí-lo!Só que é tão cansativo...restrições!
      Esforço exagerado para deixar de comer o que gostamos.
      Bombonzinhos à vista e engordamos de novo.
      O X da questão é como manter-se no peso ideal.Ideal para o mundo ( magreza)?Não! Ideal para nós mesmas.O peso com o qual nos sentimos bem. Confortável ao nos vermos no espelho, ao nos vestirmos, ao conseguirmos fazer atividades cotidianas sem dores nas articulações.
      A matemática é simples. Por que comemos? Para gerar energia que nos faz viver.Então essa energia que produzimos tem que ser queimada nas nossas atividades em geral.O que não queimamos, guardamos, em forma de gordura no corpo.
      Os sabotadores dos nossos cálculos são nossa ansiedade, nossa falta de tempo, o controle remoto, o carro, a barraquinha de fritura na esquina,...
     E para as mulheres que acreditam "ter uma alteração hormonal" causando sua obesidade,saibam que é claro que algumas alterações endócrinas, quando descompensadas, podem interferir no peso. Mas esta não é a regra,o que vemos no dia a dia é uma descompensação metabólica provocada pro nossos hábitos, nos levando a ciclo vicioso de engordar:
Assim, quando ficamos muito tempo em jejum, o cérebro entende que precisamos reservar energia e diminui muito o nosso metabolismo, fazendo até uma saladinha engordar.Além disso, quando ficamos muito tempo em jejum, comemos mais do que precisamos pois o estômago começa a liberar o hormônio da fome, que é a grelina, e então comemos e comemos e a fome demora a passar. Aí ingerimos muitas calorias e como não vamos gastar tudo, começamos a "guardar" essa energia (glicose) como gordura- colesterol e triglicerídeos ( lipogênese) que serão armazenados no tecido adiposo e fígado. Quando a glicose abaixa seu nível na corrente sangüínea, sentimos fome de novo, mas não vamos usar a energia acumulada pois ela foi armazenada e não está mais disponível, a forma mais rápida de conseguirmos energia novamente é comendo. E engordamos!!!
      A conclusão é que dietas não existem. É fantasioso acreditar que só comer na lua minguante, ou só ingerir sopa ou gordura em determinado tempo vai resolver toda esta equação.Além disso, quanto tempo conseguimos viver assim?
      E ficamos assim: comer em horas certas, antes de estar morrendo de fome,nos facilita escolher alimentos mais adequados, menos gordurosos, pois o cérebro não está desesperado por energia rápida,e conseguimos manter o metabolismo ativo. E só para completar, uma caminhadinha no fim do dia, pois o corpo foi feito para movimentar-se ( senão enferruja). Pronto!Tá aí o segredo!
     

Um comentário:

Anônimo disse...

Olá, meu nome é Mayara e acabo de passar por uma situação muito desagradavel, e preciso de ajuda. Vou explicar desde o inicio. Sou casada a um ano, e tenho 23 anos de idade. Depois de 3 dias sem relação, ele constatou que eu estou mais “larga” (o suficiente para ele colocar 2 dedos e eu não reclamar). O maior problema, é que eu não estava nem um pouco estimulada, pelo contrario, estava seca, cansada e apenas deixando para agradar. Agora ele está me acusando de traição, ou sei lá o que, porque disse que isso não é normal. Toda pesquisa que faço mostra que isso só acontece em caso de gravidez ou excitação, e não é nenhum dos dois casos, muito menos traição! A uma semana iniciei tratamento para emagrecimento, com femproporex, e é a única coisa que está diferente em minha rotina. O que poderia ter aontecido? A desconfiança e a falta de informaçáo pra provar a verdade estão me prejudicando muito, emocionalmente, e até profissionalmente. Desde já agradeço a ajuda.