terça-feira, 21 de setembro de 2010

Escolhendo seu Ginecologista


A escolha do ginecologista é uma situação delicada que mexe com o que temos de mais íntimo: nossa sexualidade.
Selecionar um médico só com o livrinho do convênio nas mãos torna-se uma tarefa bastante árdua.
Precisamos procurar por médicos que devem ser bons, confiáveis e competentes. Buscar sobre seus históricos ajuda na hora de tomar a decisão.
A escolha da melhor pessoa para nos entregarmos a receber cuidados nos exige a obter muitas informações. Podemos considerar perceber os traços do profissional, tais como a filosofia de tratamento (orientação para a doença versus preocupação com o bem-estar), os métodos de tratamento (conservador versus agressivo), a competência, disponibilidade, "estilo" ou padrões de comunicação (informal, caloroso versus formal, objetivo) e o grau de envolvimento do paciente atribuído a um médico em específico.
Sempre é bom pedir opiniões e indicações de amigas, vizinhas ou parentes ou junto a organizações de profissionais a nível estadual (como FEBRASGO, CRM, AMB - onde vamos saber se este médico é cadastrado na sua sociedade de classes, se está atualizado e se responde a processos) e com outros profissionais da área da saúde (dentistas e farmacêuticos). Se você ou um dependente seu precisar de cuidados médicos para uma condição crônica específica ou incapacidade, consultar esses grupos pode ser uma boa fonte de informações em relação aos profissionais aptos a lidar com esses casos em particular.
Essa busca permite que nós façamos perguntas específicas relacionadas às expectativas de ambas as partes para a coordenação e gerenciamento dos cuidados de saúde pessoais.
Porém, independente de sua formação, alguns médicos deixam a desejar na forma de tratar a paciente, talvez por meio de palavras ou ações que não apresentem tanta delicadeza.
Quando vamos numa consulta tão pessoal, como esta, precisamos nos sentir à vontade. Se é que isso é possível, rsrsrs...
A escolha deste profissional vai depender muito da confiança, da empatia e da possibilidade de corresponder às nossas expectativas que ele transmite.
O médico ginecologista tem por função esclarecer dúvidas sobre o funcionamento do corpo. Ele é quem cuida desde a primeira menstruação, passando por muitas fases da nossa vida, até a menopausa. Ele é o médico certo para dar diagnósticos sobre problemas de sangramento, dores, anticoncepcional, problemas hormonais, sexo e a gravidez.
Quando vamos ao ginecologista, é muito importante falar tudo o que tem acontecido, e não ter medo ou vergonha de dizer o que tem sentido, ou se tem ou não vida sexual ativa. Ele deve esclarecer todas as suas dúvidas, inclusive as mais delicados,como as relacionados aos órgãos genitais ou à sexualidade.
Infelizmente, muitas vezes o silêncio impera, pois nós não encontramos bons interlocutores para falar sobre nossa vida sexual e suas dificuldades, e alguns médicos, por sua vez, para que a consulta seja rápida, ou mesmo por constrangimento, ignoram o assunto.
A maioria dos ginecologistas, atualmente, não investigam espontaneamente, a qualidade de vida de suas clientes.
O que fazer então para chegar a um bom profissional¿
Confira se ele está bem informado, se tem paciência para ouvir suas dúvidas e se suas orientações a satisfazem.
O médico deve criar um laço de confiança para que a paciente se sinta à vontade, além de preservar sua intimidade.

2 comentários:

georgia disse...

Parabéns, Maria Luiza..
seu blog está cada dia melhor
pena que os comentarios que eu deixo nao aparecem...
nao importa, estou sempre lendo o que escreve...
mts beijos, minha linda... saudades
Ge

Paula Roberta Alves B. Vasconcelos disse...

Que legal Dra. Maria Luiza conhecer o seu blog e ver a sua preocupação em orientar suas pacientes. Amei te conhecer e me senti muito segura com seus cuidados e atenção. Espero que possamos nos conhecer melhor e que estejamos juntas nos próximos anos....bjs

Paula Roberta Alves Vasconcelos