terça-feira, 24 de agosto de 2010

Histerectomia por quê?


Certamente várias mulheres com miomas já se perguntaram ao sair do consultório do ginecologista:
Por quê meu médico indicou a retirada do meu útero?
Acreditem, existe uma explicação, ou melhor, várias explicações. Como todos sabemos, com as diversas alternativas existentes, a histerectomia (retirada do útero) é, em quase na totalidade das vezes, desnecessária para o tratamento dos miomas. Então, por quê será que a maioria dos médicos ainda indicam a histerectomia como a primeira opção de tratamento? As considerações são as seguintes.
A histerectomia é, sem sombra de dúvida, a cirurgia mais cobiçada e realizada durante a residência médica. Tradicionalmente, sempre foi a melhor e a única opção para tratar os miomas. E, hoje, a falta de recursos da maioria dos serviços de residência médica não permite procedimentos diagnósticos e terapêuticos capazes de se tentar, com maior certeza de sucesso, o tratamento dos miomas sem a retirada do útero. Por isso, raramente as miomectomias e outros tratamentos como a embolização dos miomas são realizados. Portanto, o ginecologista quase sempre termina a residência médica com um número insuficiente de miomectomias realizadas, conferindo uma experiência insatisfatória na sua formação profissional.
A histerectomia é mais fácil do que uma miomectomia. Sim, isto pode parecer um contrasenso, mas é a mais pura verdade. A histerectomia é, na maioria das vezes, uma procedimento repetitivo e com pouquíssimas variações anatômicas. Isto torna a histerectomia um procedimento relativamente simples e previsível, demandando uma curva de aprendizado menor do que da miomectomia. A histerectomia se resume em desconectar o útero dos ligamentos que o prendem à pelve, ligar (ocluir) e seccionar (cortar) os vasos sanguíneos que nutrem o útero e, por fim, retirar o útero. Com isso, invariavelmente, a retirada de um útero raramente ocorre em mais de uma hora e meia. Já a miomectomia, diferentemente da histerectomia, é um procedimento singular, variando de paciente para paciente. Nunca uma miomectomia é igual a outra. Vários fatores irão influenciar a abordagem conservadora do útero. Localização e número de miomas são os principais. Esses dois fatores combinados fazem com que tenhamos uma infinidade de variações. Logo, para um ginecologista estar apto a realizar uma miomectomia com segurança para a paciente e com uma possibilidade maior de preservação do útero, é necessário que ele tenha um tempo de treinamento e um número de cirurgias suficientemente grande a ponto de qualquer dificuldade intra-operatória ser superada sem problemas.
E o mais triste de todos os motivos. A remuneração dos convênios, baseados na tabela da AMB (Associação Médica Brasileira) e na CBHPM (Classificação Brasileira Hierarquizada de Procedimentos Médicos) por uma histerectomia é maior do que por uma miomectomia. Então, pode até parecer cruel, mas sem dúvida, creio que este seja um dos principais motivos. Vejamos os seguintes pontos. Uma histerectomia é mais fácil de ser aprendida. Uma histerectomia é mais simples de ser realizada por ser mais previsível. O tempo necessário para se realizar o procedimento de histerectomia é menor e mais previsível do que de uma miomectomia, possibilitando agendar duas ou mais cirurgias seguidas. E, finalmente, o ganho com uma histerectomia é sempre maior do que com uma miomectomia.
Agora podemos entender alguns dos reais motivos pelo qual alguns ginecologistas desencorajam outros tratamentos, que não a histerectomia, para tratar os miomas. Claro que não podemos generalizar. Sempre existem médicos que estão afinados com a evolução da medicina e com os desejos de suas pacientes.

Então, ao ouvir de seu médico "Você está com miomas, vamos retirar o seu útero" sugiro que, inicialmente, apenas duas perguntas sejam feitas a ele:
1) Por que está sendo indicado a retirada do útero?
2) Quais são as outras alternativas à retirada do útero que está sendo proposta?

Se uma das respostas for:
1) O seu útero não serve mais para dar filhos, somente para dar câncer.
2) A preservação do seu útero é impossível.
3) Não existem outros tratamentos.
4) A histerectomia é o melhor tratamento. (sem que lhe seja apresentada outras alternativas)

Procure uma segunda opinião e faça valer seus desejos e seu direito de preservar seu útero, e junto com ele sua feminilidade, sua fertilidade e tudo mais que ele possa significar para você. (Dr Michel Zelaquett)http://www.portaldomioma.com/

5 comentários:

Dr. Michel Zelaquett disse...

Olá Dra. Maria Luiza Campos,
Fico bastante honrado pela reprodução de minha postagem "Histerectomia, por quê?" publicada no Portal do Mioma em 12/07/2008.
http://www.portaldomioma.com/2008/07/histerectomia-por-qu.html
Se desejar estou à disposição para quaisquer esclarecimentos.
Att,
Dr. ichel Zelaquett

Anônimo disse...

olá doutora,quero primeiramente te parabenizar pela clareza e sinceridade que vc fala da histerectomia.
Tenho 39 anos ,um mioma de 6,0 cm e desde que comecei a fazer uso de anticoncepcional passei a ter sangramentos irregualares.Hoje estou usando Primera 30 de 12/12 horas e mesmo assim sangro.O uso do medicamento foi para parar de menstruar e melhorar a anemia que eu tinha.Eu menstruava em abundancia, mas vinha sempre no período certo.Minha dúvida é se nesse caso tenho mesmo que fazer cirurgia radical.Na rede publica não temos opção.Minha preocupaçao é que o Hospital que está marcado não tem CTI. Essa cirurgia pode ser realizada em hospital sem esse recurso?Estou muito nervosa e insegura.Por favor me ajude me esclarecendo melhor.

TECA disse...

Penso que seria maravilhoso se todos os Médicos dessem às pacientes o direito de decidir sobre seu proprio corpo e não fossem fazendo cirurgias desnecessárias só para se livrarem de um tratamento talvez mais longo,mas igualmente ou até mais eficaz.
Muito bom o artigo.
Bjs
Teca

alandigo disse...

Durante a cirurgia o medico percebeu que o colo não esta tão bom quanto deveria, isso me assustou muito, fiquei dois dias internada isso em novembro, pelo SUS não a internação e anestesia só local (relato de duas conhecidas) no primeiro dia fiquei apenas na cama sem muitas dores, esperando passar o efeito da anestesia ,no segundo tive alta tomeis alguns remédios para Infecção e anti inflatórios, feito um exame da peça retirada (10 dias para o resultado exame) longos dias estes.... foi recomendado um reconização e acompanhamento medico, tudo isso no próprio exame, ficou uma margem do vírus que já havia se tornado carcioma invasivo, de fora pra dentro hutero
Conversando com o medico optei em retirar o útero,(HISTERECTOMIA nela sai todo o útero, trompas e uma parte pequena da vagina por segurança) mesmo com a reconização, corria riscos de não elemina la e com grande probabilidade de voltar em 2 anos , preferi não passar por isso novamente..... Meus ovários foram mantidos, com isso não necessito tomar hormônios de reposição, cirurgia foi feita particular na mesma clinica valor mais salgado de 3.500,00 reais ocorreu tudo certo, Fui internada um dia antes para preparação,
Exames de rotina para anestesia , que e do tipo RAQUI pela medula, junto com …......... pra não ver tudo isso
Feito um lavagem intestinal, e depilação do local (remédio injetado pelo anus por uma bisnaga , fiz em casa a depilação)
Corte abdominal perto dos pelos pubiano, cerca de 15 cm (maior que cesária) onde a pele e desolada internamente, isso dói e fica inchado por 2 meses ou mais, no corte e feito pontos internos que com o passar do tempo e possível percebe los pela pele , mais e normal (pontos bem duros) e externo tipo plastica para cicatriz não ficar tão feia
No primeiro dia após a cirurgia fiquei esperando passar o efeito da anestesia que deixa a parte inferior do corpo paralisada, usei sonda para urinar nesse dia, fui para casa no 3 dia, dai uma dieta balanceada para evitar gazes, dói muito quando ocorre cólicas intestinais mais isso passa....tomei muita gelatina diluída.... e fiquei sem fazer esforço físico durante 3 meses peso máximo de 5 kg, mais evitei ate dois....
Depois fica vindo a especie de um corrimento que é normal ate 2 meses, no meu caso criou uma carne esponjosa no interior da vagina, nos pontos nada grave, dai o corrimento não para , esse mesma foi retirada no retorno do medico sem anestesia, apenas uma picada e sentido na hora, meu medico recomendou exames de rotina de 6 e 6 meses, e uma tomografia pélvica onde e necessário um jejum de 12horas antes do exame estar com a bexiga cheia tomando um remédio neste período para coloração, depois eliminado tudo pelo próprio organismo...
Para a cicatriz recomendo usar a pomada Kelo Cote , ela é cara, cerca de 100,00 R$ mais e muito eficiente e dura cerca de 3 meses a ajuda muito
Minha vida sexual começou 40 dias depois com muita calma, depois de 2 meses já me senti mais a vontade, as vezes sinto um pouco de dor no começo mais passa rapidinho, minha lubrificação ficou normal e o prazer também
Enfim ... e difícil pensar positivo nesses momentos mais tem que ser assim, terá que ter muita força ….o nervosismo vira, e inevitável mais passara também, a cada exame ou cirurgia...comigo deu tudo certo graças a Deus...faz 6 meses pós operatório e tudo esta certo minha vida voltou ao normal mesmo
espero que esse texto ajude quem venha a ter que passar por isso...Desejo muita Força e Sorte para você ...não se esqueça de Deus...e o que mais me deu força .Obrigada

Anônimo disse...

Nossa, muito obrigado pelas palavras.
Acabei de sair de uma consulta médica onde descobri que terei que fazer esta cirurgia, estava muito nervosa mas vc me ajudou muito. vai dar tudo certo eu tenho certeza.