terça-feira, 6 de julho de 2010

O que é Ginecologia Endócrina?


Jornal Diário da Manhã- 29 de junho de 2010
Você sabe o que é Ginecologia Endócrina? Não? Então provavelmente também nunca ouviu falar que alterações da função reprodutiva como: dificuldades de engravidar, anovulação, síndromes masculinizantes, ovário policístico, abortamento habitual, obesidade, entre outros, podem ter origem em uma disfunção ovariana e por isso, ser tratados pela Ginecologia Endócrina.
Essa especialidade médica se refere aos aspectos fisiológicos (principalmente hormonais e reprodutivos) do funcionamento do corpo feminino desde o intraútero até a senilidade.
Senilidade (envelhecimento patológico) é o termo atribuído à presença de doenças e limitações que podem surgir ao longo da vida, como a osteoporose, a hipertensão arterial e o câncer. Necessitam de abordagem e tratamento específicos para preservarmos a qualidade de vida e manutenção das funções vitais, com o passar dos anos. É verdade que as doenças, principalmente o câncer e as crônico-degenerativas, são muito mais prevalentes na população idosa, mas atribuir estas condições como esperadas para idades avançadas é um equívoco.
Assim como não podemos confundir envelhecimento normal com doenças, também não podemos tratar idosos da mesma forma que adultos, jovens ou crianças. Cada etapa da vida tem suas características e precisamos lembrar disto a cada tratamento proposto. As modificações que a senescência estabelece no organismo do idoso torna-o mais sensível.
Desde a puberdade, quando começam a surgir as mamas e inicia o ciclo menstrual, o ginecoendócrino auxilia a mulher. Por toda a vida, sempre que haja irregularidade menstrual, é ele que ajuda na detecção dos motivos.
A Ginecologia começou como especialidade cirúrgica e com o passar do tempo, a compreensão dos processos fisiopatológicos femininos criou uma nova área na qual os médicos necessitaram aprofundar seus estudos, a Ginecologia Endócrina. Isso fez a atenção médica da mulher, nas várias fases da vida, ocorrer de maneira diversa em decorrência do estado de desenvolvimento físico dos órgãos genitais e do grau de maturidade psíquica, levando a Ginecologia Endócrina se subdividir em Infanto Puberal e Climatério.
A descoberta da síntese e secreção dos hormônios trouxe novos paradigmas na hormonioterapia, tornando várias afecções passíveis de serem tratadas.
Diante disto, a ginecologia endócrina estuda a regulação neurológica e endocrinológica do ciclo menstrual normal e sua função reprodutora, podendo tratar suas alterações (cistos no ovário; endometriose; disfunção menstrual; hermafroditismo etc).
Auxilia também no tratamento de obesidade, hipertensão e diabetes – doenças com grande incidência em mulheres, e que acabam interferindo no correto funcionamento ovariano – tumores na hipófise, no hipotálamo, na tiróide, nas glândulas supra-renais, no pâncreas e nas gônadas (ovários).
São questões nas quais a ginecoendocrinologia adequada para auxiliar no tratamento. É este profissional que avalia a necessidade e indica a terapia de reposição hormonal.
Por exemplo, se você está com dificuldades para engravidar, pode ser só uma alteração na regulação hormonal levando a uma alteração na função de ovular e o sonho de ser mãe poderá estar mais próximo do que você imagina.

Um comentário:

Anônimo disse...

tenho hipotirodismo e orvario policistico essas duas patologias estao relacionadas com oganho de peso?