sexta-feira, 30 de julho de 2010

Incontinência urinária e estudo urodinâmico - Maria Luiza Campos - Diário da Manhã


A incontinência urinária é um sintoma desagradável que piora a qualidade de vida das pessoas, prejudicando as atividades diárias e levando a problemas emocionais, tais como, ansiedade, neurose, depressão, além de acarretar disfunções sexuais. Apresenta-se em mulheres de todas as idades e não é um processo inevitável ou irreversível do envelhecimento. É uma condição médica que apresenta diversas causas e com ótimas soluções para o seu tratamento. Este problema além do desconforto físico, gera constrangimento para as pacientes, que se reflete na piora de sua qualidade de vida. Embora não seja uma doença, mas sim uma condição, a perda involuntária de urina não é normal, devendo ser investigada e tratada adequadamente.
O exame urodinâmico tem contribuído para melhor entendimento da fisiologia dessas disfunções miccionais, pois avalia as funções da bexiga através da aplicação de princípios da hidrodinâmica.
A aplicação da urodinâmica permite selecionar opções terapêuticas alcançando melhores resultados de tratamento.
O objetivo é demonstrar através de monitorização da micção, ambulatorialmente, doenças ou transtornos envolvidos no armazenamento, transporte e esvaziamento da urina.
Portanto, pacientes com alterações miccionais podem se beneficiar de uma investigação urodinâmica: o exame pode compreender desde uma simples urofluxometria a um complexo estudo de pressão intravesical e abdominal.
A urofluxometria é o exame mais elementar e o seu principal objetivo é obter uma amostra do fluxo urinário que represente o padrão usual do paciente.
O exame cistométrico é a única possibilidade de demonstração da presença de contrações vesicais involuntárias, o que leva ao diagnóstico de hiperatividade vesical. Através deste exame, podem ser avaliadas as condições pressóricas de armazenamento, observando-se a presença de alterações na complacência vesical.
Os estudos de fluxo-pressão estabelecem com segurança o diagnóstico de obstrução urinária infravesical, pois possibilitam a monitorização da pressão intravesical simultânea ao fluxo.
Assim, através do estudo urodinâmico podemos verificar:
-Incontinência urinária de esforço: É a perda de urina quando o abdômen está sob condição de aumento de pressão.(Quando qualquer esforço físico, como tossir, espirrar, dar risada, carregar peso, ou ainda, levantar da cama, pode resultar em perda urinária);
-Urgeincontinência (bexiga hiperativa): O paciente tem uma vontade súbita e urgente para urinar, acompanhada de perda incontrolável de urina;
-Incontinência urinária mista: É a combinação das duas formas descritas acima;
-Incontinência paradoxal : A bexiga não consegue esvaziar completamente.(O jato urinário é fraco. A paciente urina frequentemente e apresenta perda ou gotejamento urinário).
Enfim, a avaliação urodinâmica é um método complementar de diagnóstico valioso quando bem indicado. Não pode, não deve e não substitui uma boa anamnese e um cuidadoso exame físico. Apenas complementa e confirma ou afasta hipóteses diagnósticas e, em alguns casos, revela o prognóstico. Na avaliação urodinâmica é muito importante a boa relação médico-paciente, pois sabe-se que o fator emocional tem considerável influência na função miccional. Trata-se, portanto, de uma importante ferramenta no diagnóstico, prevenção e controle clínico dos males que atingem o trato urinário inferior e, indiretamente, o superior.
Então você deve procurar um médico quando surge:
- Perda do controle urinário que prejudique suas atividades físicas, sociais e sexuais.
- Perda de urina ao tossir, espirrar, carregar uma sacola de compras, fazer qualquer esforço.
- Você precisa correr ao banheiro no primeiro desejo de micção, mas não consegue chegar a tempo e perde urina.
- Você precisa urinar muitas vezes durante o dia e mais de 3 vezes à noite.
- Você sente dor durante a micção ou quando a bexiga está cheia.
- Você não consegue urinar adequadamente logo após uma cirurgia.
- Você apresenta infecções urinárias repetidas.
- O jato urinário está ficando fraco.

Um comentário:

TECA disse...

Otima materia.
Estou precisando mesmo fazer o exame porque estava achando o problema insoluvel.
Abs
Teca