segunda-feira, 31 de agosto de 2009

Primeira Consulta ao Ginecologista


Nem faz tanto tempo assim que as mocinhas menstruavam mais tarde e iam pela primeira vez ao ginecologista, já casadas, depois que engravidavam. Antes disso, só consultavam um médico se tinham algum problema sério de saúde, na maior parte das vezes, um velho amigo da família, um clínico geral.
Hoje, as meninas menstruam mais cedo e o início da vida sexual é mais precoce. Teoricamente, antes que isso acontecesse, seria o momento ideal para a primeira consulta ao ginecologista. No entanto, muitas mães têm medo de que, levando a filha adolescente ao ginecologista, possam estar incentivando sua liberação sexual. Puro engano! Quando a garota decide que chegou o seu momento, com ou sem a aprovação materna, iniciará a vida sexual e é melhor que esteja informada e protegida contra doenças sexualmente transmissíveis (DST) e gravidez.
COMBATENDO A INIBIÇÃO - Tudo é uma questão de saber lidar com o próprio corpo e depende de como a menina foi criada. Se lhe ensinaram que mexer nos genitais é algo errado e pecaminoso, dificilmente terá naturalidade para tocá-los. Agora, se desde de criança lhe disseram o contrário, ela usufruirá algumas vantagens. Primeiro, porque irá conhecer melhor seu organismo. Segundo, porque perderá o medo de colocar, por exemplo, um absorvente íntimo, um diafragma ou anéis hormonais, métodos de contracepção que implicam a necessidade de manipulação dos órgãos genitais. Além disso, sob o ponto de vista da sexualidade propriamente dita, é fundamental que ela perca esses medos todos.
IMPORTÂNCIA DA ORIENTAÇÃO MATERNA - O ideal seria que a primeira consulta fosse feita antes do início da vida sexual. Todavia, a experiência me diz que as meninas procuram o ginecologista depois disso. A maioria o faz por sugestão da mãe que, ao tomar conhecimento do fato, encaminha a filha ao médico não para fazer exames, mas para receber orientação em termos de prevenção de doenças e de gravidez indesejada. Nessa ocasião, é importante tranqüilizar a menina a respeito do exame ginecológico porque o maior temor é que ele seja traumático.
Na verdade, a criança bem orientada pela mãe, que entrou tranqüila no período menstrual, não precisa necessariamente ir ao ginecologista. No caso, porém, de a mãe sentir-se insegura para desempenhar esse papel, deve consultar a filha sobre a possibilidade de receber orientação mais visual e técnica de um médico ginecologista. Nesse primeiro contato, não há necessidade de exames nem da mesa ginecológica. O mais importante é o médico cativar a adolescente e convencê-la de que tem um aliado com o qual poderá contar para qualquer emergência, e que ela pode procurá-lo sem depender da mãe para trazê-la ou não.

2 comentários:

Anônimo disse...

queria tirar uma duvida fikei um mes sem tomar minha pirula ai desceu para mim 2 vezes ai comecei a tomra um nova caixinha mas apos a segunda pirula desceu de novo para mim jja faz 15 dias e nao para descer o que sera que aconteceu?

gabygiusty2 disse...

Oi meu nome é Gabriela, e tenho 13 anos, eu e meu namoorado estavamos tentando ter um filho, já fazia 3 meses que ele gozava lá dentro, depoois desses 3 meses,descia normal
minha barriga inxava sentia todos os sintomas, fiz 2 exame de sangue deu negativo, mais nao intendii o porque, contei pra minha mãe uns dias antes que estava gravida, ela me levo pra fazze exame, depois levo num ginecologita Paulo MARQUES DE ARAPONGAS, ai tava atrasada 15 dias, já ele pediu uns exames, de sangue e flo, se vc quise pode leva ela pra toma anticonsepcional injetável, mais fikei sem intendee, o porke ele flo isso,sem me fazer os exames,no mesmo dia minha mãe levo eu na farmacia tomei ela e é de 3 em 3 meses, mais minha menstruação continua atrasada 1 mes e 10 dias, miha barriga continua cresceendo vce poderia me RESPOONDER, O POrque minha menstruação ta atrasada, e se pode ser alguma Doença alguem responde eu e-mail: gabygiusty@hotmail.com. Olha o tamanho dela, até tinha comprado sapatiinho dele