segunda-feira, 19 de maio de 2008

Corrimento Vaginal


Corrimento Vaginal

A secreção vaginal normal é clara, fluida e sem cheiro. Sua quantidade varia durante o ciclo menstrual (próximo à ovulação o corrimento é mais viscoso e em maior quantidade) e no período de excitação sexual que antecede as relações sexuais.

Corrimento vaginal, ou leucorréia, é definido como a presença de uma secreção aumentada na vagina com características diferentes da normal. Mais freqüentemente, o corrimento vaginal ocorre quando há desequilíbrio entre os diferentes microorganismos que habitualmente se encontram na vagina (bactérias e fungos) causando uma inflamação da vagina (vaginite). O corrimento anormal geralmente está associado a sintomas como irritação local, coceira, odor desagradável e dor durante as relações sexuais.

É um dos mais comuns e mais irritantes problemas que afeta a saúde da mulher e é uma das causas mais freqüentes de visita ao médico ginecologista e ocorre em cerca de 1/3 das mulheres pelo menos uma vez na vida.

As causas mais freqüentes dos corrimentos vaginais são a vaginose bacteriana, a candidíase e a trichomoníase. Quando o corrimento alterado provém de uma infecção do colo do útero (cervicite) as causas mais prováveis são a gonorréia e a infecção por clamydia.

Candidíase vaginal

É causada por fungos que se proliferam em situações favoráveis, como por exemplo nas alterações do meio vaginal que podem estar associadas ao uso da pílula, diafragma, dispositivo intra-uterino, à diabetes, à gravidez e à ingestão recente de antibióticos.
O corrimento típico na candidíase é espesso, de cor branca (aspecto de coalho), sem cheiro e acompanhado de inflamação das paredes vaginais que ficam muito irritadas. O principal sintoma é a coceira intensa e, as vezes há ardor local.

Vaginose bacteriana

É causado por uma bactéria (Gardnerella vaginalis). Este o corrimento é fino, de cor branco-amarelada e com um cheiro característico a peixe que se intensifica após as relações sexuais.

Trichomoníase

É uma infecção causada por um parasita (Trichomonas vaginalis) que é transmitido por contato sexual.
O corrimento na trichomoníase é abundante, de cor branco-acinzentado. Normalmente causa uma irritação vaginal que pode estar acompanhada por prurido. Em algumas mulheres a infecção pode ser assintomática.

Há alguns fatores que podem facilitar o aparecimento do corrimento vaginal. O meio vaginal normal tem uma acidez própria que ajuda a manter o equilíbrio entre os diferentes microrganismos que colonizam habitualmente a vagina. A alteração deste equilíbrio ou a entrada de microrganismos estranhos por contágio sexual leva à inflamação da vagina com alteração das suas secreções normais.

Alguns fatores que podem alterar o equilíbrio da flora vaginal são: stress, freqüência de relações sexuais, antibióticos, duchas vaginais, uso de anticoncepcionais hormonais, uso de roupas apertadas, alterações hormonais do ciclo menstrual, da gravidez e da menopausa, higiene inadequada, etc.

O diagnóstico do corrimentos baseia-se nos sinais e sintomas clínicos e é auxiliado pelo exame ginecológico. Muitas vezes as características do corrimento não permitem o diagnóstico exato do tipo de corrimento e o ginecologista pode solicitar um exame laboratorial do corrimento ou lançar mão de um creme vaginal que apresente um amplo espectro de ação.

O tratamento dos corrimentos vaginais depende do seu tipo. Pode-se utilizar antibióticos, anti fúngicos ou antiparasitários, que podem ser administrados por via oral (comprimidos tomados pela boca) ou através de aplicações locais na vagina (cremes, óvulos ou comprimidos vaginais).

Nos casos de corrimentos causados por trichomonas é importante que se trate o parceiro sexual também. Além disso recomenda-se alguns cuidados como evitar duchas vaginais, evitar roupas justas e roupas íntimas de tecido sintético, não abusar dos tampões vaginais e absorventes íntimos, etc.

http://www.solvayfarma.com.br

9 comentários:

Mari ♥ Felipe disse...

Maízaa...
mto bom saber que vc tem um blog sobre saúde agora..
vou estar sempre por aqui..
favoritei até seu endereço no meu computador aqui..
te amo prima!!

Anônimo disse...

Eu tenho um corrimento branco e sem cheiro, minha doutora fala que é normal, que calça jeans apertada, abafamento, calor, doce tudo isso faz os microorganismos da vagina se proliferarem. A minha pergunta é além de asseios, uso de sabonete intimo, que remedio eu posso usar? Ela me passou itraspor, só isso resolve?

Diana Sousa disse...

Ola
Eu creio que tenho candidiase mas a unica diferença é que dantes tinha um corrimento branco como diz ai e agora esta a ficar verde-amarelado..
eu queria saber se isso é mau e o que devo fazer para parar com este problema.
eu ja tenho isto há 4 meses mas tenho dinheiro para ir ao medico

Anônimo disse...

va querida

Anônimo disse...

eu tenho corrimento branco e sem cheiro minha ginecologista me passou uma pomada para passar por 7 dias coloca la dentro, mas estou com medo,será que nao é grave? como que eu possa ter pego?

Patty Silva disse...

Oi, eu tenho um pouco de corrimento amarelo clarinho, não deita cheiro, também não tenho dores, nem comichao. Depois de ter relações sexuais, sinto-me bem, a minha viagina nao arde nem doi. Só tem mesmo, um bocado de corrimento. Será normal?

Anônimo disse...

Perdi minha virgindade, mais ficou um corinho fino q fica ligado de um lado e de outro no canal vaginal. O que pode ser isso? Me ajudem estou com medo e se mecho nele dói.

Anônimo disse...

Sempre tive uma secreção vaginal clara e pouco espessa. Contudo, nos últimos dias ela tornou-se amarelo-esverdeada mas sem odor, sem coceira ou qualquer tipo de incômodo. Pela sua experiencia o que acha que pode ser?

Anônimo disse...

muito obrigadoo pela ajuda