segunda-feira, 23 de março de 2015

Jornada Hormogin ( hormonioterapia para ginecologistas)

Olá leitoras boa tarde!
Este fim de semana de 20 de março de 2015 estive no 18 Hormogin em  São Paulo que é um encontro com os maiores especialistas em ginecologia endócrina de São Paulo.
Então trago aqui para vocês algumas das novidades que podem ajudar a melhorar a qualidade de vida e a informá-las para tirar as dúvidas na hora de conversar com seu ginecologista.

Você sabia: mulheres usuárias de prótese de mama estão sendo assustadas por notícias na mídia de que estão mais sujeitas a câncer de mama e que é um tipo novo. Seguinte: desde 1995 sabe se que o câncer linfoma anaplásico ocorreu em 100 casos até hoje, de 100 milhões de usuárias de prótese. Ao meu entender 100 em 100 milhões é muito pouco. Mas fica aí o esclarecimento.

 Anticoncepção de alta precisão, já ouviu falar? Significa buscar o perfil e características da mulher para escolher o melhor método e o melhor hormônio contido do anticoncepcional para atender as necessidades desta mulher. Porque não existe um que seja bom para todo mundo. Assim aumentamos a aderência ao tratamento e diminuímos os riscos de falha do método. Então escolha seu método!!!

O câncer colo retal é o que mais mata. Vamos ao ginecologista anualmente fazer a prevenção contra o câncer de colo de útero. E o intestino?? É responsabilidade do seu ginecologista pedir anualmente o sangue oculto nas fezes. Porque não somos acostumados a ir no coloproctologista anualmente fazer uma revisão, né? E pelo menos uma vez a cada 10 anos temos que fazer a colonoscopia preventiva. Afinal você sabia que quando o diagnóstico foi feito por rastreamento a chance de sobrevida é 96% contra 70% de quando é feito porque surgiu algum sintoma? Então fica a dica.

A contracepção contínua e a com pausas programadas são mais cômodas para mulher por serem mais seguras, com menor risco de falhas e ajudando a diminuir TPM e até a perda de sangue mensal. A maior desvantagem são os escapes. Mas como eles são raros e infrequentes, trocar TPM e menstruação por um escape vez ou outra vale a pena ou não? Qual sua opinião?

A quantidade e o tipo de hormônios que tem nos anticoncepcionais pode interferir na massa óssea. Isso é particularmente importante para as adolescentes pois o uso de um hormônio menos favorável para essa fase pode fazer um osso mais fraco, com risco para osteoporose no futuro.

As mulheres no climatério tem chance diminuída de engravidar. Mas o estímulo ovariano pelo cérebro ainda pode produzir boas ovulações. Então até os 55anos, para quem não quer mais filhinhos, ainda tem que se proteger.

#hormogin

sexta-feira, 13 de março de 2015

Vamos vacinar?

equilíbrio e saúde

Anvisa amplia indicação de vacina contra HPV para mulheres até 45 anos

NATÁLIA CANCIAN
DE BRASÍLIA

09/03/201519h41

A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) aprovou a indicação da vacina quadrivalente contra HPV para mulheres até 45 anos. Até então, a vacina era indicada para mulheres de até 26 anos.

A medida foi publicada nesta segunda-feira (9) no Diário Oficial da União. A mudança foi feita a pedido da fabricante, a MSD, e vale para a vacina conhecida como Gardasil, que protege contra quatro subtipos do vírus.

Além das mulheres de 9 a 45 anos, a vacina também é indicada para meninos de 9 a 26 anos na prevenção de lesões pré-cancerosas e câncer de ânus, por exemplo.

A ampliação da faixa etária, no entanto, vale apenas para as vacinas aplicadas na rede privada –na rede pública, a vacina é ofertada para meninas de 9 a 13 anos, além de mulheres com HIV de 9 a 26 anos. O objetivo é diminuir os casos de câncer de colo de útero, uma das principais causas de morte por câncer em mulheres no país.

Para o governo, a escolha em vacinar pré-adolescentes ocorre para que a imunização ocorra antes da exposição ao vírus –ou seja, antes do início da atividade sexual, o que torna a vacina mais eficaz.

Segundo a MSD, a mudança ocorre após estudos que mostram que grupos de mulheres de 24 a 45 anos também podem estar suscetíveis a contraírem o vírus.

PRODUÇÃO NACIONAL

Além da ampliação da faixa etária, a Anvisa também aprovou nesta segunda o registro para que a vacina contra o HPV possa ser fabricada no Brasil pelo Instituto Butantan.

Com isso, o instituto passa a ser o primeiro laboratório nacional com registro para produzir a vacina. A medida é uma das etapas da PDP (parceria de desenvolvimento produtivo) firmada entre a MSD e o Butantan, que hoje distribui o produto para a rede pública.

"Isso qualifica o Butantan como tendo condições de começar o processo de aquisição dessa tecnologia", afirma o diretor-substituto do instituto, Marcelo de Franco. Segundo o diretor, a previsão é que a vacina seja completamente produzida no país em até cinco anos.

A vacina passou a ser ofertada na rede pública no ano passado. Ao todo, segundo o Ministério da Saúde, serão investidos R$ 1,1 bilhão na compra de 36 milhões de doses da vacina até 2019 –período necessário para a total transferência de tecnologia ao laboratório brasileiro.

Para este ano, a previsão do Ministério da Saúde é de adquirir 11 milhões de doses.

Fale com a Redação -novasplataformas@grupofolha.com.br






























segunda-feira, 22 de dezembro de 2014

segunda-feira, 1 de dezembro de 2014

DICAS SOBRE HIV E AIDS

Hoje, o dia 1 de dezembro foi  escolhido internacionalmente para nos lembrar e conscientizar que precisamos nos proteger contra a aids/hiv.

Por isso eu reuni umas informações de saúde que na verdade são dicas e lembretes que vão ajudar no dia a dia das suas escolhas.

A pessoa com HIV não tem sintomas específicos, aliás, ela pode não ter sintoma nenhum.
Muita gente ao redor do mundo, algo em torno de 33 milhões, convive com o vírus do HIV.  E com tanta informação disponível, vocês não vão acreditar, mas, por dia, o número de novos diagnósticos de pessoas infectadas gira em torno de 7000. Ao dia! E esse número vem aumentando. Como???? Você me pergunta!

Sabe por quê  esse número enorme? Porque a gente sempre acha que não acontece com a gente.  Acreditamos que sabemos de tudo sobre o assunto. E pior ainda, tem gente pensando que a aids/hiv não mata mais ninguém. É um engano terrível.

As estatísticas ainda são ruins: 30% das pessoas com aids já chegam com a doença muito avançada quando vem fazer o diagnóstico.

O  HIV é um vírus. Ele destrói nosso sistema imune. A pessoa pode contrair o vírus e ficar transmitindo, sem ter sintoma nenhum, mesmo antes dele atacar o sistema imune dela. Por isso é importante fazer o teste. Quanto o HIV começa a destruir e enfraquecer as células de defesa, começa a se instalar a doença que se chama aids. Então ter hiv é uma coisa e ter aids é outra.

Podemos ter e não saber, então:

Como sei se tenho HIV?
Basta fazer um dos testes existentes para diagnosticar a doença. É grátis no SUS. O resultado é SEGURO e SIGILOSO. É realizado a partir da coleta de sangue. Os pacientes que tiverem o resultado positivo devem fazer acompanhamento médico.

Você sabia que 25% dos portadores do HIV hoje, não sabem que estão contaminados. E o pior disso é que eles estão por aí transmitindo. É muito importante irmos atrás de fazer esse teste. O preconceito e o desgaste emocional que cercam esse diagnóstico afastam as pessoas de terem uma busca ativa pelo teste, por medo. Essa é a maior barreira que encontramos hoje para oferecer um tratamento adequado a população.

Esses números alarmantes são para nos alertar de:
Como se pega o HIV
Como o HIV, está presente no sangue, sêmen, secreção vaginal e leite materno, o vírus pode ser transmitido de várias formas:

• Sexo sem camisinha (oral, vaginal ou anal); E não importa se o parceiro é conhecido ou não. Lembre-se que muitas vezes o próprio portador nem imagina que possa estar contaminado.
Atenção para o comportamento de risco  30% dos jovens hoje admitem não usar nunca ou quase nunca camisinha.
• Compartilhando agulhas e seringas contaminadas;
• Da mãe infectada para o bebê durante a gravidez, na hora do parto e/ou amamentação;
• Transfusão de sangue contaminado com o HIV;
• Instrumentos que furam ou cortam, não esterilizados.

Como NÃO se pega o HIV: picada de inseto, piscina, compartilhando copos, talheres, toalha e sabonete.

E o tratamento...
Hoje o modelo de tratamento que o Brasil instituiu é considerado pela Organização Mundial de Saúde como referência para o mundo.
A pessoa fica em acompanhamento médico, fazendo exames periódicos e só de o HIV começar a se manifestar ela será orientada a começar a usar medicações que são os antirretrovirais. Que vão manter o HIV sob controle o maior tempos possível, porque diminui a multiplicação do vírus no corpo e assim melhora a defesa novamente e se restaura a qualidade de vida e bem estar.

Só tem um problema: o vírus fica resistente ao medicamento se a pessoa começa a esquecer de tomar as medicações ou se abandona o tratamento. Aí as opções diminuem.

Aderindo ao tratamento, com acompanhamento médico periódico e mantendo hábitos de vida equilibrados, como uma alimentação saudável e a prática de atividades físicas, a pessoa infectada vai levar uma vida afetiva e social comum.


Vamos usar esse dia para refletir uma atitude ativa em prol da nossa saúde, afastando comportamentos destrutíveis e combatendo o preconceito.

domingo, 20 de julho de 2014

Mudança de endereço

Estamos em recesso e com mudança de endereço para sede própria. A expectativa de retorno de atendimento já na nova sala é segunda quinzena de agosto. O telefone será o mesmo, mas por enquanto está desligado devido a mudança.
O novo endereço será Av E, n°1470, Q B29A, sala 910, Ed JK, Jardim Goiás, Goiânia. CEP 74810-030
Telefone 62- 40162742

Tarde de Autógrafos: Aguardo vocês


quinta-feira, 5 de junho de 2014

Agora é Oficial

Caros leitores o meu livro já está a venda nas livrarias e pelo site http://www.zapbook.com.br/shop/segredos-de-mulher
Faremos vários lançamentos pelas capitais. Eu aguardo vocês!!! Leiam e comentem. Cada opinião é muito importante!
Segredos de Mulher
Uma conversa franca com a ginecologista
Release para imprensa

Qual a chance de um cidadão comum saber o que se passa numa consulta médica de uma mulher com sua ginecologista?
Agora isso já é possível.
Ficou curioso? O improvável aconteceu!
Está sendo lançado pela editora ZapBook o livro Segredos de Mulher, de autoria de Maria Luiza Campos, que além de escritora e palestrante, é médica ginecologista.
O livro retrata o dia a dia de um consultório de ginecologia , mas também vai muito além disso: aborda temas polêmicos e preconceitos, desvenda mitos e revela informações úteis sobre assuntos variados e sérios do cotidiano, bem estar e saúde da mulher.
E o mais interessante é que a voz da mulher está presente. É a mulher falando de problemas femininos para a mulher e para quem quiser saber mais sobre elas.
Adolescência, sexo, medos, menopausa, gravidez, mioma, osteoporose, infecções, endometriose, relacionamentos, tudo isso numa linguagem simples, em forma de confidências, para conseguir a proeza de colocar o leitor dentro do livro.
A cada texto, os diálogos te identificam com a personagem fictícia da cliente sendo consultada, pois são retratados problemas reais.
O leitor penetra no inusitado mundo feminino e pode entender quais são as dúvidas e anseios dessas mulheres.
Textos sobre assuntos de ciência e saúde que visam orientar para melhoria na qualidade de vida das mulheres, são frutos de anos de pesquisa sobre os temas mais relevantes do universo feminino, e deram origem ao blog de saúde da autora.
O livro completa esta proposta de levar educação em saúde para todos.
A cada capítulo nos deparamos com personalidades diferentes e opiniões singulares.
A idéia de fazer estes textos se transformarem em diálogos de consultas médicas colocando o leitor dentro da sala do consultório, como se ele mesmo fizesse as perguntas, fazem o texto envolvente e empolgante a cada página para que possa influenciar a vida dos leitores com dicas valiosas.