segunda-feira, 1 de dezembro de 2014

DICAS SOBRE HIV E AIDS

Hoje, o dia 1 de dezembro foi  escolhido internacionalmente para nos lembrar e conscientizar que precisamos nos proteger contra a aids/hiv.

Por isso eu reuni umas informações de saúde que na verdade são dicas e lembretes que vão ajudar no dia a dia das suas escolhas.

A pessoa com HIV não tem sintomas específicos, aliás, ela pode não ter sintoma nenhum.
Muita gente ao redor do mundo, algo em torno de 33 milhões, convive com o vírus do HIV.  E com tanta informação disponível, vocês não vão acreditar, mas, por dia, o número de novos diagnósticos de pessoas infectadas gira em torno de 7000. Ao dia! E esse número vem aumentando. Como???? Você me pergunta!

Sabe por quê  esse número enorme? Porque a gente sempre acha que não acontece com a gente.  Acreditamos que sabemos de tudo sobre o assunto. E pior ainda, tem gente pensando que a aids/hiv não mata mais ninguém. É um engano terrível.

As estatísticas ainda são ruins: 30% das pessoas com aids já chegam com a doença muito avançada quando vem fazer o diagnóstico.

O  HIV é um vírus. Ele destrói nosso sistema imune. A pessoa pode contrair o vírus e ficar transmitindo, sem ter sintoma nenhum, mesmo antes dele atacar o sistema imune dela. Por isso é importante fazer o teste. Quanto o HIV começa a destruir e enfraquecer as células de defesa, começa a se instalar a doença que se chama aids. Então ter hiv é uma coisa e ter aids é outra.

Podemos ter e não saber, então:

Como sei se tenho HIV?
Basta fazer um dos testes existentes para diagnosticar a doença. É grátis no SUS. O resultado é SEGURO e SIGILOSO. É realizado a partir da coleta de sangue. Os pacientes que tiverem o resultado positivo devem fazer acompanhamento médico.

Você sabia que 25% dos portadores do HIV hoje, não sabem que estão contaminados. E o pior disso é que eles estão por aí transmitindo. É muito importante irmos atrás de fazer esse teste. O preconceito e o desgaste emocional que cercam esse diagnóstico afastam as pessoas de terem uma busca ativa pelo teste, por medo. Essa é a maior barreira que encontramos hoje para oferecer um tratamento adequado a população.

Esses números alarmantes são para nos alertar de:
Como se pega o HIV
Como o HIV, está presente no sangue, sêmen, secreção vaginal e leite materno, o vírus pode ser transmitido de várias formas:

• Sexo sem camisinha (oral, vaginal ou anal); E não importa se o parceiro é conhecido ou não. Lembre-se que muitas vezes o próprio portador nem imagina que possa estar contaminado.
Atenção para o comportamento de risco  30% dos jovens hoje admitem não usar nunca ou quase nunca camisinha.
• Compartilhando agulhas e seringas contaminadas;
• Da mãe infectada para o bebê durante a gravidez, na hora do parto e/ou amamentação;
• Transfusão de sangue contaminado com o HIV;
• Instrumentos que furam ou cortam, não esterilizados.

Como NÃO se pega o HIV: picada de inseto, piscina, compartilhando copos, talheres, toalha e sabonete.

E o tratamento...
Hoje o modelo de tratamento que o Brasil instituiu é considerado pela Organização Mundial de Saúde como referência para o mundo.
A pessoa fica em acompanhamento médico, fazendo exames periódicos e só de o HIV começar a se manifestar ela será orientada a começar a usar medicações que são os antirretrovirais. Que vão manter o HIV sob controle o maior tempos possível, porque diminui a multiplicação do vírus no corpo e assim melhora a defesa novamente e se restaura a qualidade de vida e bem estar.

Só tem um problema: o vírus fica resistente ao medicamento se a pessoa começa a esquecer de tomar as medicações ou se abandona o tratamento. Aí as opções diminuem.

Aderindo ao tratamento, com acompanhamento médico periódico e mantendo hábitos de vida equilibrados, como uma alimentação saudável e a prática de atividades físicas, a pessoa infectada vai levar uma vida afetiva e social comum.


Vamos usar esse dia para refletir uma atitude ativa em prol da nossa saúde, afastando comportamentos destrutíveis e combatendo o preconceito.

domingo, 20 de julho de 2014

Mudança de endereço

Estamos em recesso e com mudança de endereço para sede própria. A expectativa de retorno de atendimento já na nova sala é segunda quinzena de agosto. O telefone será o mesmo, mas por enquanto está desligado devido a mudança.
O novo endereço será Av E, n°1470, Q B29A, sala 910, Ed JK, Jardim Goiás, Goiânia. CEP 74810-030
Telefone 62- 40162742

Tarde de Autógrafos: Aguardo vocês


quinta-feira, 5 de junho de 2014

Agora é Oficial

Caros leitores o meu livro já está a venda nas livrarias e pelo site http://www.zapbook.com.br/shop/segredos-de-mulher
Faremos vários lançamentos pelas capitais. Eu aguardo vocês!!! Leiam e comentem. Cada opinião é muito importante!
Segredos de Mulher
Uma conversa franca com a ginecologista
Release para imprensa

Qual a chance de um cidadão comum saber o que se passa numa consulta médica de uma mulher com sua ginecologista?
Agora isso já é possível.
Ficou curioso? O improvável aconteceu!
Está sendo lançado pela editora ZapBook o livro Segredos de Mulher, de autoria de Maria Luiza Campos, que além de escritora e palestrante, é médica ginecologista.
O livro retrata o dia a dia de um consultório de ginecologia , mas também vai muito além disso: aborda temas polêmicos e preconceitos, desvenda mitos e revela informações úteis sobre assuntos variados e sérios do cotidiano, bem estar e saúde da mulher.
E o mais interessante é que a voz da mulher está presente. É a mulher falando de problemas femininos para a mulher e para quem quiser saber mais sobre elas.
Adolescência, sexo, medos, menopausa, gravidez, mioma, osteoporose, infecções, endometriose, relacionamentos, tudo isso numa linguagem simples, em forma de confidências, para conseguir a proeza de colocar o leitor dentro do livro.
A cada texto, os diálogos te identificam com a personagem fictícia da cliente sendo consultada, pois são retratados problemas reais.
O leitor penetra no inusitado mundo feminino e pode entender quais são as dúvidas e anseios dessas mulheres.
Textos sobre assuntos de ciência e saúde que visam orientar para melhoria na qualidade de vida das mulheres, são frutos de anos de pesquisa sobre os temas mais relevantes do universo feminino, e deram origem ao blog de saúde da autora.
O livro completa esta proposta de levar educação em saúde para todos.
A cada capítulo nos deparamos com personalidades diferentes e opiniões singulares.
A idéia de fazer estes textos se transformarem em diálogos de consultas médicas colocando o leitor dentro da sala do consultório, como se ele mesmo fizesse as perguntas, fazem o texto envolvente e empolgante a cada página para que possa influenciar a vida dos leitores com dicas valiosas.

domingo, 11 de maio de 2014

sexta-feira, 21 de março de 2014

DHEA e Gravidez

http://guiadobebe.uol.com.br/novos-tratamentos-melhoram-a-fertilidade-da-mulher/

terça-feira, 4 de fevereiro de 2014

A Mulher e a Saúde

O que você gostaria de saber sobre a saúde e a mulher?
Em comemoração ao Dia Internacional da Mulher, eu vou contar algumas histórias sobre nossas conquistas e dar dicas de como manter seu bem estar e sua qualidade de vida.
Só para você ter uma idéia de como conseguimos vitórias ao longo destes anos, sabia que se hoje falamos em Lei Maria da Penha, que pune quem agredir uma mulher, foi em 1890 que foi criada a Lei que proíbe violência contra a mulher.
E se hoje podemos escolher casar ou não, foi só em 1960 que adquirimos o direito de poder escolher o marido.
Diante de tanta repressão que nós mulheres fomos submetidas ao longo dos anos, não tínhamos direito nem de cuidar da própria saúde. Já hoje em dia, a mulher é a principal provedora da atenção primária à saúde. Isto quer dizer que quando temos informação e orientação, faz parte da nossa preocupação nos cuidar e cuidar de nossos queridos.
Assim, após conquistar espaço definitivo no mercado de trabalho e quebrar tabus na sociedade brasileira, nós mulheres enfrentamos agora um novo desafio: cuidar da saúde enquanto acumulamos cada vez mais tarefas.
Doenças que eram exclusivas dos homens, passaram a fazer parte do universo feminino.
Agora mulheres morrem de infarto, morrem de acidente vascular cerebral. E estas duas são as maiores causas de morte feminina.
Depois vem a morte por câncer de mama e câncer de colo uterino.
Morte por complicações do HIV não diagnosticado
E morte por complicações de doenças metabólicas como diabetes.
Alerta para doenças em expansão

Se antes a Aids incidia em 25 homens para cada mulher, hoje essa proporção já é de um para um. De acordo com o Ministério da Saúde, na última década, o número de casos de HIV na população feminina aumentou em 44%.

O câncer de mama deixou de ser um problema apenas de pessoas mais velhas e tornou-se comum também entre as mais jovens. Por outro lado, o HPV (Vírus do Papiloma Humano) continua freqüente principalmente porque ainda existe receio para realizar o exame Papanicolau.

Mas, em muitas doenças típicas do universo feminino, alguns cuidados podem ser suficientes para garantir uma vida saudável:
Cuidados que podem garantir mais saúde para à mulher:

• Faça consultas periódicas e regulares ao seu médico para manter sua saúde íntima e interna em dia, evitando fadigas, stress, e outras doenças;

•Realize periodicamente o autoexame de mama e anualmente os exames: papanicolau, mamografia e ultrassonografias. 

• Mantenha  cuidados básicos com a pele, com os cabelos, com as unhas. São hábitos que ajudarão a se manter jovem e bonita, além de ser essencial pra à saúde e autoestima;

• Faça exercícios físicos regularmente, pois auxilia no controle do peso na qualidade de vida.

• Alimente-se de forma saudável, a reeducação alimentar, nutre o corpo e auxilia na prevenção de várias doenças;

Evite fumar. Esta é a regra fundamental para prevenir o câncer.


Abaixo segue um cronograma que eu achei muito interessante pois mostra o relógio biológico da mulher e os cuidados que ela deve ter em cada fase da vida.




A grande novidade de conquista para nossa saúde este anos foi a chegada da vacina contra o HPV no SUS. Esta vacina impede que mulheres adoeçam com o câncer de colo uterino.
E para o futuro:
 Agora em janeiro de 2014 começou no Texas o uso de um anel vaginal que é contraceptivo e além disso previne contra o vírus da Aids. Isso mesmo. Um anel vaginal como contraceptivo não é novidade, nós já temos um no mercado. A diferença deste, que dura 90 dias, é que libera um gel que impede a transmissão do vírus HIV.

Em comemoração ao dia internacional da mulher fica o convite a todas nós: Vem vamos nos cuidar, vamos viver bem! Bem mais!